• (19) 2042-2150
  • (11) 4210-8150

Tendências de cibersegurança na área de saúde

Confira nesse post algumas tendências de cibersegurança na área da saúde e como o mercado está se revolucionando.

Em meio ao surgimento da COVID-19 que estressou a operação do sistema de saúde público e privado globalmente, as áreas de cibersegurança, suporte de TI e novas tecnologias desenvolvidas pelas healthtechs estão alcançando cada vez mais investimentos no setor de saúde.

Transformação digital, internet das coisas, pacientes com um nível de exigência mais alto, profissionais de saúde esgotados e com novas necessidades de processos ágeis e facilitados são o novo normal.  Essas são apenas algumas das demandas que têm invadido o mercado de saúde como um todo.

Neste artigo, compartilhamos algumas das tendências de cibersegurança na área de saúde que os Provedores de Serviços de TI (MSPs) da DataSafer estão experimentando na área de saúde em 2021 e como estão se desenvolvendo para entregar serviços gerenciados de qualidade e proteção de dados de última geração para hospitais, clínicas e laboratórios de exames.

Veja mais como o mercado de saúde está dinâmico e como poderá gerar oportunidades para a sua empresa.

 

Pacientes mais digitais

Os pacientes possuem mais acesso a informações confiáveis (e outras nem tanto) na Internet, acesso à aplicativos de healthcare e desejam ter mais controle da sua saúde e do seu relacionamento com os médicos.

A medicina passa a incorporar conceitos de experiência do cliente (CX – customer experience) e de atendimentos realizados em muitos canais ou omminichannel, seja presencial, por telefone, mídias sociais, aplicativos, WhatsApp e telemedicina.

Exames por imagens, laudos de laboratórios, área do paciente em portais médicos aumentou o volume de dados e as informações sensíveis em posse dos pacientes e compartilhadas com as unidades de saúde. O armazenamento seguro destas informações e o relacionamento com os pacientes devem também atender às questões de conformidade, tanto das publicadas pela ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) como pela LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados).

 

Prontuário Eletrônico do Paciente – PEP

Em muitas situações, o atendimento pode envolver diversas especialidades e áreas: cardiologia, oftalmologia, oncologia, nefrologia, enfermagem, fisioterapia, entre outras, dentro do mesmo hospital ou outras unidades do plano de saúde.

O Prontuário Eletrônico (PEP) permite a segurança das informações dentro do fluxo de um atendimento para outro, garantindo agilidade no processo e integração das áreas de cuidados dos pacientes.

Com esta tecnologia, a era do papel chega ao fim. O PEP é um dos mecanismos que fazem parte da tecnologia paperless. E qual é o conceito? Facilitar o acesso a informações e, ao mesmo tempo, mitigar erros manuais ou de ruído de comunicação. Tudo está armazenado em um único repositório local on-premise ou na nuvem, com cópias de segurança dos backups.

Tabela 1 – Vantagens do Prontuário Eletrônico [1]

 

Como está o uso da nuvem na área da Saúde?

O acesso rápido e fácil a informações médicas importantes é vital para o diagnóstico, tratamento e cuidados contínuos dos pacientes. Carregar os prontuários eletrônicos (PEP) repletos de registros de saúde, histórico do paciente, resultados de testes, imagens e outras descobertas de diagnóstico na nuvem permitem que os membros da equipe de atendimento sempre possam agir com base nas informações mais recentes.

Os dados médicos compartilhados na nuvem também estarão disponíveis para qualquer pessoa ou aplicativo que tenha uma necessidade de visualizar e agir com base nas informações prestadas, com acesso seguro por login, senha forte e certificados digitais.

Desta forma, as equipes médicas podem compartilhar e colaborar dados em tempo real, como a solução CloudDrive disponibilizada pela plataforma de FileSync&Share da Nexxun.

Adicionalmente, o volume de dados crescentes dos ERPs e Banco de Dados da área de saúde, como o sistema Tasy, Pixeon, SPDATA, MV e outros necessitam de soluções de cloud privada e de áreas de armazenamento de grandes volumes, com soluções de backup automatizados.

 

 

Suporte de telemedicina

A telemedicina é a prática da medicina por meio das tecnologias de informação e comunicação (TICs) que permite a teleorientação, telemonitoramento, teleconsulta e teleinterconsulta durante o período de quarentena, possibilitando a continuidade do cuidado e desfazendo os receios que muitos profissionais ainda tinham em sua adoção.

Em abril de 2020, o Conselho Federal de Medicina (CFM) reconheceu, em caráter excepcional, a telemedicina no país como uma prática aceita enquanto durar a situação emergencial da pandemia.

 

Como as healthtechs estão revolucionando a saúde

De acordo com o relatório Distrito HealthTech Report, atualmente existem mais de 540 startups de healthtech no Brasil.

As healthtechs são startups que desenvolvem soluções com foco no setor de saúde, com forte base tecnológica, promovendo serviços e produtos escaláveis e inovadores.

Dentro desse mercado, temos aplicações nas áreas da educação da saúde, wearable, relacionamento com pacientes, gestão, farmacêutica, telemedicina e medtech.

Junto com as healthtechs e as novas soluções disponibilizadas para o mercado, a operação de rede das unidades de saúde com alta disponibilidade, gerenciamento pró-ativo e seguro demandarão serviços especializados de suporte de TI pelos MSPs.

 

Cibersegurança na área da saúde

Resumidamente, chamamos de cibersegurança as práticas de proteção de sistemas interconectados, servidores, dispositivos móveis, computadores e redes contra ataques maliciosos e crimes cibernéticos. Ou seja, são os métodos para proteção de software, hardware e dados, sendo também denominada como segurança da tecnologia da informação.

Gestores e Provedores de Serviços de TI (MSPs) que atuam no mercado de saúde devem entender mais a fundo o que é a segurança cibernética e preparar-se para as ameaças virtuais, com a devida proteção dos dados, por ser uma área muito visada por atacantes, como os de ataques de ransomwares.

Principalmente nos hospitais e unidades de saúde, a continuidade dos negócios fica fortemente comprometida com a perda de dados e indisponibilidade de sistemas. Além disso, adotar medidas efetivas para a prevenção de ataques, bem como políticas de recuperação e de backups, são cruciais para restaurar a capacidade operacional, e garantir a segurança dos pacientes e vidas humanas.

 


 

Referências

[1] PIXEON, Conheça as vantagens dos PEPs para clínicas especializadas e policlínicas, PUBLICADO EM 12 DE AGOSTO DE 2016, em https://www.pixeon.com/blog/conheca-as-vantagens-dos-peps-para-clinicas-especializadas-e-policlinicas/