• (19) 2042-2150
  • (11) 4210-8150

O que é Ransomware e como se proteger?

Acompanhe o artigo e veja como se proteger contra ransomwares

 

De acordo com o Relatório de Ameaças Cibernéticas da SonicWall 2021, o Brasil tem se tornado um prato cheio para os cibercriminosos. O levantamento da pesquisa identificou que, em 2020, o país foi o nono mais afetado por ataques do tipo ransomware, totalizando cerca de 3.800.000!

Esse valor exorbitante coloca em risco principalmente as empresas, grandes geradoras de dados de valor. Sem dúvidas, esse tipo de cibercrime tem causado prejuízos imensos para o caixa do negócio, afinal, requer valores em dinheiro para resgatar os dados.

E aí, ficou curioso para conhecer mais sobre esse tipo de ameaça cibernética? Continue a leitura do artigo e veja como escapar desse tipo de extorsão.

 

O que é ransomware

O ransomware se trata de um tipo de malware que tem como objetivo conseguir ganhos financeiros com o pagamento do resgate dos dados que foram roubados das vítimas. Basicamente, esse malware bloqueia o acesso do usuário ao sistema ou arquivos pessoais e exige o pagamento do resgate para recuperar o acesso.

Toda essa história começou por volta de 1980, quando surgiram as primeiras variantes do ransomware. O PC Cyborg ou AIDS foi o primeiro ransomware criado e tinha como função criptografar todos os arquivos no local C: de uma máquina.

Após sucessivas reinicializações, o usuário recebia uma mensagem para renovar a licença enviando o valor de US$189. E o mais interessante é que o pagamento era feito através das agências de correspondência, como os correios.

Atualmente, os maliciosos exigem que o pagamento seja feito via criptomoeda ou cartão de crédito. Logo quando foram lançados, os ransomware tinham criptografia simples, e pessoas experientes em computação conseguiam reverter a codificação.

Entretanto, de 1980 até hoje, muitos tipos de ransomware foram desenvolvidos e melhorados, a fim de atacar com mais precisão e poder para driblar as soluções de segurança. Nesse contexto, um grande exemplo de criptografia surgiu em 2013, quando o CryptoLocker usou criptografia de nível militar.

Para piorar a situação, os hackers armazenaram a chave necessária para desbloquear os arquivos em um servidor remoto. Ou seja, em uma situação como essa, era praticamente impossível que os usuários recuperassem seus dados sem o pagamento do resgate.

Outro exemplo de sucesso foi o WannaCry em maio de 2017 e o Petya, em junho de 2017. Ambos utilizaram o ransomware de criptografia para enganar usuários e empresas em todo o mundo. Devido a eficiência desse tipo de malware de criptografia, até hoje o uso dessa ferramenta é feito.

 

Tipos de ransomware

Existem três tipos principais de ransomware. Eles variam de acordo com o grau de severidade.

Veja:

1. Scareware

Os scarewares são os ransomwares mais “tranquilos” para lidar.

Basicamente, eles são softwares de segurança fraudulentos que enviam mensagem pop-up alegando que o malware foi descoberto e a única maneira de se livrar dele é pagando.

Esse tipo de ransomware é um chato que, se você não pagar, vai continuar enchendo de pop-ups a sua página de navegação e área de trabalho. Entretanto, eles não acessam os seus arquivos, então podemos dizer que eles seguem seguros.

Não se esqueça que programas legítimos de segurança, como os antivírus, não solicitam pagamentos dessa forma! Se você já contratou um software de segurança para remover ameaças, não tem porque pagar novamente para remover uma infecção.

Então, sempre que notar comportamentos impróprios de softwares que você não instalou, tenha certeza que o seu computador foi infectado por ransomware.

 

2. Bloqueadores de tela

O ransomware do tipo bloqueador de tela literalmente trava o seu PC. Ou seja, quando você reinicializar o seu computador, uma janela do tamanho da tela aparecerá, tirando a capacidade de realizar qualquer ação no seu computador.

Existem duas principais formas de requisitar o resgate do acesso. Na primeira, o malicioso coloca na sua tela um selo do FBI ou do Departamento de Justiça Americano, com uma mensagem de detecção de atividade ilegal no seu computador.

Então para ter acesso você deve pagar uma multa. Outra forma é expor para o usuário que ele está realmente sendo atacado, com uma imagem de bloqueio de tela e a solicitação do valor para resgatar o acesso.

 

3. Ransomware de criptografia

O ransomware de criptografia é o tipo mais perigoso entre os três. Isso porque os hackers conseguem acessar os seus arquivos e os encriptam, exigindo pagamento para descriptografar e devolver.

O grande problema é que quando os cibercriminosos estão com os seus arquivos, nenhum software de segurança ou restauração do sistema pode devolvê-los. Ou seja, você está nas mãos deles. Então, ou você paga o resgate ou os mesmos podem destruir os seus arquivos.

 

E se a minha empresa sofrer ataques por ransomware, o que fazer?

Se você perceber que a sua empresa sofreu um ataque por esse tipo de malware, siga o conselho defendido pelo FBI: Nunca pague o resgate. Esse tipo de ação faz com que os hackers tenham ainda mais poder e busque fazer mais ataques a sua empresa e a outras.

De forma inicial, tente recuperar os arquivos criptografados utilizando descriptografadores gratuitos. Bem, é claro que existem algoritmos mais avançados que não podem ser descriptografados com softwares simples. Nesses casos, é necessário buscar a ajuda de um especialista.

Outra forma de tentar lidar com a infecção por ransomware é realizar o download de um produto de segurança para fazer a correção e remoção da ameaça. Bom, pode ser que você não consiga restaurar os arquivos que já estão em criptografia, mas é possível evitar que novos arquivos sofram ataques. Além disso, é possível detectar o início de um ataque via ransomware observando alguns comportamentos do computador.

Então, por exemplo, se você notar seu sistema ficando mais lento sem motivo aparente, desligue-o e desconecte-o da Internet. Em seguida, reinicie o seu sistema. Com essa interrupção, o malware não poderá enviar ou receber instruções do servidor de comando e controle. Dessa forma, você conseguiu paralisar o malware que, sem a infecção completa, não consegue requisitar o pagamento para resgate.

Depois de paralisar a ameaça, com a sua solução de segurança, como um antivírus, por exemplo, execute a varredura e verificação completa para “limpar” o seu computador.

 

Como se proteger do ransomware?

Como vimos até aqui, os ransomwares são malwares um tanto quanto difíceis de lidar. Em um cenário como esse, usuários comuns geralmente não contam com habilidades suficientes para ter de volta os dados, e muitas vezes, nem os próprios especialistas conseguem resgá-los.

Isso porque, uma vez em posse dos seus arquivos, com uma criptografia eficiente, se torna praticamente impossível ter de volta seus dados sem pagar por eles.

Diante disso, sem dúvidas, a melhor técnica para lidar com essas ameaças é a prevenção. Em primeiro lugar, a sua empresa precisa ter soluções de cibersegurança que cuidem da sua rede em tempo real.

Dessa forma, é possível impedir ataques de malware avançados, como o ransomware. E é claro, é necessário educar os seus funcionários para que eles consigam identificar esses tipos de ataque, que, atualmente, têm sido altamente feitos via phishing.

Você contratou serviços de cibersegurança, educou seus funcionários e mesmo assim sofreu um ataque? Em uma realidade como essa, ter uma carta na manga é essencial, e o seu “Às” deve ser um serviço eficiente de backup. Isso porque o armazenamento em nuvem inclui criptografia de alto nível e autenticação em múltiplos passos.

Então não espere o pior acontecer para cuidar da segurança dos dados da sua empresa!

Faça um teste grátis com a gente clicando aqui.


Produtos & Marketing